VOCÊ SABIA QUE O NÚCLEO RIO FOI FUNDADO POR DUAS MULHERES NEGRAS?

No dia 17/06/2019 um grupo de mulheres se reunia as 18h08min, no Auditório Pedro de Césero (UERJ) para fundar o tão movimentado Núcleo Rio de Janeiro da ABMGeo. O que poucas pessoas sabem é que as fundadoras do núcleo foram duas mulheres negras, Larissa Lago e Mariana Bessa, ambas geólogas formadas pela UERJ. Larissa na época era membra do Conselho Deliberativo da ABMGeo nacional, e Mariana uma fiel entusiasta e defensora da causa das mulheres. Elas então criaram um grupo de whatsapp e convidaram mulheres geocientistas de diversas instituições para se reunir e discutir o tema “Machismo no mercado de trabalho e no meio acadêmico”, bem como iniciar ali as atividades da ABMGeo – Núcleo RJ.

Atualmente, Larissa faz doutorado na engenharia civil da PUC-Rio, na área de geotecnia e trabalha com mecânica das rochas e geologia de engenharia. Ela atua na ABMGeo nacional como diretora de núcleos, e fundou junto com outras geocientistas pretas (incluindo a Mariana Bessa) o Grupo Yangì de Geocientistas Pretos. Além disso, participou ativamente da organização do 1° Workshop Internacional Mulheres Geocientistas: Conexão Brasil-Angola.

Mariana é doutoranda em Geociências pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro tendo como linha de pesquisa Evolução Tectônica de Faixas Móveis. Sua pesquisa se baseia na gênese e evolução do magmatismo alcalino do sudeste brasileiro, mais precisamente no Complexo Alcalino do Morro de São João, Casimiro de Abreu-RJ. Também é formada em técnica em meio ambiente (2008) com experiência gerenciamento de resíduos industriais e licenciamento Ambiental. Cofundadora e Pesquisadora em Ações Afirmativas do Grupo Yangì de Geocientistas Negros e Negras.

Vale lembrar que antes mesmo da fundação do núcleo, Larissa, Mariana e a geóloga Rosane Euzébio organizaram o primeiro evento da Associação Brasileira de Mulheres nas Geociências em terras cariocas, chamado “Racismo nas Geociências: Geocientistas Negras Discutem o Tema”. O evento fez parta de campanha 21 dias de ativismo contra o racismo e contou com a presença de mais duas geólogas, Joana Ramalho e Glauce Ibraim.

O Núcleo RJ da ABMGeo continua honrando o legado antirracista trazidos por suas fundadoras e hoje tem como principal objetivo a promoção da diversidade racial nas geociências, pois entende que mesmo entre nós mulheres existe uma hierarquização que marginaliza as mulheres negras.

Fonte: Arquivos digitais do núcleo ABMGeo-Rio